sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Hemorragia mental

Dor de cabeça seria apenas mais um sintoma
Mas a revelação me possue
É pois, caótico o interior do meu semblante simples
O método que não aplico
A regra sem exceção

A alegria é mais fácil por ter apenas um sorriso
Como seria bela a poesia se eu a lançasse ao mundo
Mas trancafiada no meu couro cabeludo ela viverá

Seu óvulo é desconhecido
sua mãe é algum livro velho que devo ter lido por aí
bibliograficamente questionável

A idéia nasceu fermentada pela inquietude
O estouro da bomba fonética é iminente
Mas resolvo não proferi-la

A poesia é construída mesmo assim
Com valor semântico nulo
E continuo a propagar a futilidade
Da reação instável causada pela teimosia de escrever

Conjunto de palavras que a intenção foi recusada
Prolixidade intencional
Kilos de palavras irão para o lixo
ou para a mente de quem se atreva a dar atenção

Linguagem da intenção, será pois, a minha melhor linguagem
Dentro de mim sobrevive a riqueza da liberdade
Fora de mim, a rouquidão das palavras.

Um comentário:

josieee disse...

Gosto da sua linguagem poética.
^^